Aguarde. Carregando informações.
MENU

Domingo, 23 de julho de 2017 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Quem quer ser abusado aí?

COLUNISTAS Ricardinho Santa Ritta

Quem quer ser abusado aí?

Quem quer ser abusado aí?

(Imagem: )

A pauta da semana se tornou o tal projeto de lei contra o abuso de autoridade que está tramitando desde 2009 para ser votado no Congresso Nacional.
Aposto que ninguém gosta de ser abusado. Se sim, psicólogos querem estudá-lo.
Quem gostou se um professor na escola deu nota ruim, mesmo você tendo tirado nota boa, só por causa de seu comportamento ou por não haver empatia?
Quem não tomou um multa de trânsito tendo a certeza que não a cometeu? Só porque o agente precisava aumentar a meta de multas ou somente porque não gostou da eu cara e disse que você estava sem cinto. Tem que pagar.
Quem gosta de pagar aquela conta do bar que o garçom colocou duas cervejinhas a mais. Que diferença faz 20 ou 22 latinhas? Pois é, provavelmente você só lembrou no outro dia.
E aquela autoridade que dá a famosa carteirada para entrar no estádio de futebol, no show musical, no cinema. Enquanto você paga o ingresso eles abusam da prerrogativa da função.
Quem é favor do abuso sexual? Do abuso financeiro? Do abuso judiciário. "Ah mas contra bandido..."
Pois bem, hoje vivemos a era do super empoderamento do poder judiciário. Não há mais equilíbrio de forças entre legislativo e executivo frente à justiça.
Mas lembra da justiça lenta e morosa que temos? Pois é. É um abuso um magistrado passar meses, anos para despachar um processo. Uma averbação de divórcio dura 2 anos em média. Uma ação de direito do consumidor demora 3 meses para primeira audiência, e às vezes o valor não chega a R$ 100. Vale a pena?
E aquele juiz ou promotor que por uma richa alheia persegue um abusado, independente deste ser culpado ou não.
Não sou a favor de excessos. Nem excesso de lei, nem excesso de abuso. Para mim não seria necessário um projeto de lei. Mas sim a Reforma do Judiciário. Processo penal e civil é retrógrado. Somos única nação do mundo a ter Tribunal Eleitoral, pasmem, temos 28 destes. O Tribunal Militar, você sabia que existe? A ditadura acabou antes de eu nascer e essa Tribunal ainda existe. E a justiça do trabalho? Será mesmo que vale a pena o custo bilionário de manter uma justiça especial para relações trabalhistas quando este tipo de Direito nem Código possui. Uma tal CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas - é de 1943, meus avós nem tinham casado Ainda.
Contra o maior abuso de todos precisamos é da Reforma do Judiciário.

Comentários