O comitê, que é presidido pelo secretário de Meio Ambiente de Marechal Deodoro, Mateus Gonzalez, discutiu pautas como a necessidade do Plano de Capacitação dos Membros do Comitê, o pleito de inserção de novos membros e o alastramento de pirambebas, espécie de piranha que foi introduzida na lagoa e vem causando prejuízos econômicos e ambientais para as espécies nativas;

Além disso, também foram debatidos outros assuntos como o Plano de coração de um Mosaico de Reservas Particulares do Patrimônio Natural, que visa garantir a conservação das florestas de encostas e suas nascentes; bem como a criação de uma agência executiva para apoiar nas ações do Comitê Gestor do CELMM.

De acordo com Mateus, a reunião foi um passo importante para elaborar e dar início ao planejamento das ações que deverão ser adotadas pelo comitê gestor. Ele ainda explica que a iniciativa busca garantir a conservação do complexo estuarino, que, além da sua importância ambiental, também tem relevância na economia da região, gerando emprego e renda.

“Só conseguiremos conciliar os diversos usos se tivermos um bom planejamento. Os conflitos entre os objetivos de uso, por muitas vezes, são inevitáveis, e cabe ao comitê um planejamento que garanta o uso sustentável destes recursos. Não podemos deixar, por exemplo, que o lançamento clandestino de esgoto prejudique atividades importantes como a pesca e o turismo”, afirmou.

*Secom Marechal Deodoro