Aguarde. Carregando informações.
MENU

Sexta-Feira, 17 de novembro de 2017 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Alagoas

Obras de duplicação e eixos viários são atrasadas pelo Estado para não comprometer qualidade final

O secretário de Transportes comenta que é necessário, ao menos, um período de três dias sem chover para o solo não ser prejudicado.

Obras de duplicação e eixos viários são atrasadas pelo Estado para não comprometer qualidade final

(Imagem: Divulgação)

No ano passado, o Governo de Alagoas anunciou duas obras importantes para reorganizar a mobilidade urbana na capital e no litoral norte. Sendo que, devido às chuvas, a duplicação da AL-101 Norte e os eixos viários do Cepa e do Quartel, que prometem desobstruir duas principais vias, foram suspensas temporariamente.

Como promessa, o Poder Executivo planejou a entrega dos Eixos Viáros em seis meses, ou seja, entre fevereiro e março deste ano. Segundo a Secretaria de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), as obras precisaram ser suspensas temporariamente pelo acumulado de fortes chuvas na capital, mas, as obras não estão paralisadas.

A Setrand explica, ainda, que a equipe técnica continua trabalhando em pequenos serviços possíveis no período chuvoso, como a construção de muros com gradil para segurança dos pedestres e canaletas de drenagem da água.

Assinada em janeiro do ano passado, a duplicação da AL-101 avança com obras de serviços complementares e finais para implantação do viaduto e da primeira ponte sobre o rio Jacarecica. Segundo informações da Secretaria, falta apenas a aplicação de produtos de resina de proteção na estrutura do concreto.

O secretário executivo da Setrand, Alcides Tenório, os trabalhos serão redirecionados neste período chuvoso pela impossibilidade executiva, que poderia comprometer a qualidade final da obra. Além disso, Alcides comenta que é necessário, ao menos, um período de três dias sem chover para o solo não ser prejudicado.

“Por isso, durante este período atípico e inesperado, qualquer ação de drenagem, terraplanagem e pavimentação torna-se impraticável”, diz Alcides.

*Redação Alagoas Alerta

Comentários