Aguarde. Carregando informações.
MENU

Terça-Feira, 07 de julho de 2020

Política

Câmara precisa votar adiamento das eleições municipais de 2020 nesta semana, diz Maia

Câmara precisa votar adiamento das eleições municipais de 2020 nesta semana, diz Maia

Rodrigo Maia se reuniu com Bruno Covas, na manhã desta segunda (29) (Imagem: Reprodução/TV Globo)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta segunda-feira (29), que a proposta de adiamento das eleições municipais seja pautada e votada ainda nesta semana pela Câmara. A declaração foi dada após encontro com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), na sede da prefeitura, no Centro da capital paulista.

“A decisão de votar [o adiamento] e votar precisa acontecer essa semana. Até porque nós temos o prazo de 4 de julho, que é muito importante, são milhares de servidores públicos que pretendem disputar a eleição, certamente muitos da área de saúde, que precisam da informação para tomar sua decisão. É importante que a câmara tome a sua decisão, estamos dialogando, tentando construir o apoio necessário, ou até a unanimidade, para que a gente possa votar. Nós ainda estamos longe disso, mas a nossa intenção é com diálogo chegar na quarta com uma solução para esse tema", afirmou Maia.

Segundo Maia, o encontro com o prefeito de São Paulo faz parte de uma série de reuniões que ele pretende fazer com gestores municipais para discutir o impacto da crise do coronavírus nos municípios do país.

"Estou começando agora um diálogo mais próximo aos prefeitos, governadores, para que a gente compreenda essa segunda fase que algumas cidades vão entrar, como São Paulo, como algumas cidades do Nordeste, para que a gente possa compreender qual a agenda fundamental e urgente no segundo semestre", afirmou.

Ainda de acordo com o presidente da Câmara, a questão da mobilidade e do subsídio ao transporte público é o principal problema apresentado pelos prefeitos.

"Também toda a queda de arrecadação, com efeito no aumento de despesas correntes de todos os municípios, principalmente na área de saúde e assistência social, isso vai gerar impacto no segundo semestre e no primeiro semestre do ano que vem. Então é importante que a gente já possa começar a pensar desde já essas pautas que vão ser fundamentais para que o congresso possa junto com os governadores, mais principalmente com os prefeitos, organiza-las e começar a vota-las já a partir de julho, agosto, para que esses problemas que vão ficar, que eles tenham uma solução."

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que apresentou ao presidente da Câmara um relatório com os principais problemas da cidade e pleitos da gestão municipal com o governo federal.

"Aqui na cidade de SP a gente já prevê uma perda de arrecadação de 9,5 bilhões. Por conta dos projetos aprovados em Brasília, dos projetos que nós aprovamos aqui na câmara municipal, da reorganização do orçamento municipal, a gente já conseguiu alguns recursos extras, mas ainda temos uma pressão orçamentaria de algo em torno de R$ 3 bilhões de reais para resolver até o final do ano. Só o setor de transportes, que tinha uma previsão inicial de um subsidio de R$ 2,3 bilhões de reais, a gente já lida agora com uma pressão de um subsidio de R$ 3,8 bilhões de reais, 1 bi e meio a mais. A gente sabe que esse é um dos temas que o presidente Rodrigo Maia está tentando ajudar os municípios.", afirmou Covas.

*G1