Aguarde. Carregando informações.
MENU

Terça-Feira, 17 de setembro de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Alagoano é indicado por unanimidade para exercer cargo no judiciário federal

COLUNISTAS Amós Monteiro

Genuinamente alagoano, servidor público, acadêmico de jornalismo e desportista.

Alagoano é indicado por unanimidade para exercer cargo no judiciário federal

Alagoano é indicado por unanimidade para exercer cargo no judiciário federal

(Imagem: Arquivo pessoal)

O gabaritado Juiz Federal Dr. Sérgio Wanderley de Mendonça teve, nos últimos dias, sua indicação aprovada por unanimidade pelo pleno TRF5 para exercício de mandato na Turma Nacional de Uniformização de Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais (JEFs), no biênio 2019/2021.

 

Sob indicação do coordenador dos JEFs da 5ª Região, excelentíssimo Desembargador Federal Paulo Roberto de Oliveira Lima, o magistrado alagoano ocupará a suplência do respeitável conselho nacional no âmbito judiciário, tendo na efetiva titularidade a Juíza Federal de Pernambuco, Dra. Polyana Falcão.   

 

Wanderley possuí uma vasta biografia na esfera judiciária. Formado em Direito pela Universidade Federal de Alagoas - UFAL, atuou por três anos como procurador do estado, durante dez anos esteve como titular da segunda vara da justiça federal em Alagoas, foi professor de Direito do CESMAC, presidente da turma recursal da justiça e, atualmente, é o responsável pela terceira relatoria da mesma representação.

 

Espelhado na sua destacável carreira, vale abrir parenteses para também fazer menção a inerente trajetória que vem sendo introduzida pelo jovem promissor Charles Vieira. Atualmente estudante de Direito do quadro discente da UFAL, assessor jurídico na Assembléia Legislativa de Alagoas, com passagem pela Procuradoria da Fazenda Nacional e merecedor de homenagem conferida pela OAB/AL, através da medalha Raimundo Marinho. Inclusive, o encaminhado ao fabuloso universo de operação do direito e enteado do mais novo integrante da Turma Nacional de Uniformização de Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais, já carrega o título de revelação acadêmica pelo conselho federal, conferido pela OAB em 2018.

 

 

Certo do glorioso triunfo frente à incumbência, elevamos o legado de mais um conterrâneo ao rol da galeria de alagoanos que farão do seu trabalho uma referência no Brasil.

 

 

Aliás, estamos exportando um produto com mais de vinte anos de experiência na magistratura.

 

 

Portanto, esmero  e engrandecimento curricular serão os principais nortes na sua nova missão.

 

 

Comentários