Aguarde. Carregando informações.
MENU

Segunda-Feira, 24 de setembro de 2018 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Maternidade Santa Mônica inicia abertura dos 26 novos leitos de neonatologia

COLUNISTAS Edlúcio Donato

Maternidade Santa Mônica inicia abertura dos 26 novos leitos de neonatologia

Em coletiva, Renan Filho anunciou que, na próxima semana, será lançado o Projeto Ponte, que vai ampliar os leitos de retaguarda da rede hospitalar credenciada pelo Estado

Maternidade Santa Mônica inicia abertura dos 26 novos leitos de neonatologia

(Imagem: André Palmeira)

A Maternidade Escola Santa Mônica, unidade complementar da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), dá início, na próxima segunda-feira (5), à abertura gradativa dos 26 novos leitos de assistência neonatal. Atualmente, a maternidade tem 26 ativos – 11 na Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo) e 15 da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN).

 

Com a abertura, os dois setores inaugurados em dezembro de 2015 ficarão com 26 leitos cada, totalizando 52 de assistência neonatal do Estado. Em 2017, a Santa Mônica recebeu 1.216 recém-nascidos na UTIN e UCINCo. A expectativa, com a abertura dessas novas unidades, é sanar o déficit de leitos de assistência neonatal no Estado e garantir atendimento a todos que precisarem.

 

“Quando assumimos o Governo, a Santa Mônica estava fechada havia quatro anos. As mães de Alagoas não tinham a quem recorrer. Aliás, Maceió é a única capital do Brasil que não tem maternidade pública municipal e também não possui hospital de urgência municipal. Nós reabrimos a Santa Mônica, dobramos o número de leitos, entregamos duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e faremos mais duas, além do Hospital da Mulher e o Metropolitano, que estão em obras. Agora, com os novos 26 leitos da Santa Mônica, vamos prestar um serviço ainda melhor”, disse o governador Renan Filho.

 

De acordo com Antonio Otávio Bento Vianna, diretor-geral da maternidade, na última quarta-feira (28), a Justiça deu um prazo de 45 dias para que todos os leitos estejam funcionando plenamente, devido à necessidade de contratação e treinamento de profissionais, bem como a garantia de fornecimento de insumos, medicamentos e correlatos.

 

O reitor da Uncisal, Henrique Costa, explicou que todas as pendências referentes à abertura dos novos leitos estão sendo resolvidas, a exemplo da aquisição dos insumos e, também, sobre a contratação dos profissionais. “É um avanço importante na área da saúde em Alagoas;  é uma espera que chega ao fim. Os novos leitos estarão preparados para atendimento e, com certeza, vamos prestar um melhor serviço à população”, afirmou Henrique Costa.

 

A Maternidade

 

Referência estadual para o atendimento a gestantes e recém-nascidos de alto risco, contando com Unidade de Terapia Intensiva Materna e Neonatal, a Maternidade Escola Santa Mônica desenvolve também atividades interrelacionadas de ensino, pesquisa, extensão e assistência. Sua clientela é totalmente do Sistema Único de Saúde (SUS) constituída de gestantes, recém-nascidos de alto risco e mulheres provenientes de todo Estado de Alagoas, por meio de demanda referenciada pelo Complexo Regulador Assistencial (Cora).

 

Recentemente, a Santa Mônica passou por avaliação de consultores do Ministério da Saúde, com a finalidade de preparar a maternidade para a certificação como referência do Método Canguru no Estado.

 

De acordo com Zeni Carvalho Lamy, coordenadora do Projeto de Fortalecimento do Método Canguru do Ministério da Saúde, a Maternidade Santa Mônica tem uma excelente estrutura para acolher o projeto.

 

“Estamos muito felizes com o que encontramos aqui, e saio com a certeza de que todos querem a certificação e que ninguém teve dúvida de que, no Estado de Alagoas, a Santa Mônica é o lugar para ser a referência”, afirmou o coordenador.

 

Projeto Ponte

 

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (01), no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, o governador Renan Filho anunciou que também, na próxima semana, será lançado o Projeto Ponte, que tem por objetivo ampliar os leitos de retaguarda da rede hospitalar credenciada pelo Estado.

 

“Serão 127 novos leitos para auxiliar e reduzir o tempo de permanência no HGE. O paciente vai entrar no Hospital Geral do Estado;  terá sua situação estabilizada e será transferido para um hospital, onde receberá outros cuidados. Isso vai aumentar a capacidade do HGE de atender as pessoas”, detalhou Renan Filho.

 

 

 

*Agência Alagoas

Comentários