Aguarde. Carregando informações.
MENU

Domingo, 25 de agosto de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Interior

Comunidade quilombola de Major Izidoro é visitada pela FPI do São Francisco

Comunidade quilombola de Major Izidoro é visitada pela FPI do São Francisco

A Equipe de comunidades tradicionais da Fiscalização Preventiva Integrada da Bahia Hidrográfica do Rio São Francisco (FPI do São Francisco) se reuniu com representantes de comunidades quilombola Puxinanã, em Major Izidoro. O objetivo do encontro é identificar formas de realizar melhorias para as comunidade e melhorar a relação desses cidadãos com os recursos ambientais disponíveis na região onde moram.

Acompanhados pelo procurador da república Bruno Lamenha, os componentes da equipe também realizaram um levantamento de dados, por meio de entrevistas com os moradores. Segundo os técnicos, as informacoes serão nescessárias no processo de construção da identidade do povoado.

Também de acordo com o coordenador da equipe de comunidades tradicionais, Ivan Soares Farias, a comunidade está razoavelmente bem estruturada, mas ainda há trabalho para realizar.

"Ainda existem muitas coisas para serem feitas Por exemplo, as escolas que funcionavam aqui, foram transferidas para uma comunidade vizinha e os estudantes precisam se deslocar. Não há posto de saúde. Apenas metade da comunidade possui água encanada, a outra metade depende de cisternas e depende de caminhão pipa. O acesso é difícil, sem pavimentação. São situações que precisam ser melhoradas para oferecer qualidade de vida", declarou.

Outra questão para ser trabalhada é o processo de identificação dos moradores com suas identidades quilombolas.

"Esse processo de identificação precisa ser trabalhado para ser fortalecido. É necessário resgatar a memória coletiva do povoado, reavivar isso que vai se perdendo com a morte dos mais velhos. A partir daí , trabalha-se a questão de demarcação de terras que, depois de ser realizada, pode elevar vantagem s para a comunidade de maneira coletiva", afirmou Ivan Soares.

Fábrica de bolo

Entretanto, mesmo diante de vários problemas enfrentados, pontos positivos foram encontrados pela equipe. "Dos locais visitados.por nossa equipe, Puxinanã é uma das melhores situações encontradas. Um bom exemplo é a pequena fábrica de bolos caseiros, construída pelos moradores, muito organizada, bem planejada, onde trabalham várias pessoas em uma espécie de serviço compartilhado. A produção é vendida e ela conseguiram fornecer os bolos para duas escolas públicas que atendem ao povoado. Ou seja, conseguem um incremento importante pra economia local", destacou.

Para o procurador da república Bruno Lamenha, o trabalho da FPI é importante já que leva fortalecimento e melhorias para realidade das comunidades." Enquanto instituições precisamos nos aproximar desses cidadãos, saber como vivem, quais seus trabalhos, suas necessidades. E eles descobrem que há órgãos públicos que podem ajudá-los e muito.

*Redação Alagoas Alerta com Assessoria

Conteúdo de responsabilidade do autor.

Comentários