Aguarde. Carregando informações.
Entretenimento

Cacau Protásio comemora primeira protagonista no cinema e sucesso pessoal: 'Só fui feliz depois dos 40'

Cacau Protásio comemora primeira protagonista no cinema e sucesso pessoal: 'Só fui feliz depois dos 40'

(Imagem: Janderson Pires/Instagram)

Cacau Protásio não titubeia ao afirmar que começou a curtir a vida só após os 40 anos. A atriz, que na comédia A Sogra Perfeita interpreta Neide, uma mãe em crise de meia-idade que quer se livrar do filho para, finalmente, poder aproveitar a vida, diz estar na melhor fase aos 46 anos.

“A crise que a Neide teve na meia-idade eu tive antes dos 30. Quando eu tinha 19 anos falava, ‘Se eu não me casar até os 20 vou me matar’. Chegou os 20 e falei: ‘Se eu não me casar até os 21 me mato mesmo’. Não aconteceu e eu desisti da promessa. Fiquei em crise até os 30, com inveja das amigas que se casavam (risos). Depois fui viver a vida. Deus me deu tudo o que eu queria depois dos 40. Me casei após os 40. Sou grata a Deus por isso porque se tivesse conquistado antes tudo o que sonhava, seria soberba. Eu digo que comecei a viver a vida só depois dos 40, que só fui feliz depois dos 40. Então, agora estou ótima. Não estou encalhada e estou muito bem casada (risos)”, conta, fazendo graça.

Cacau Protásio como Neide em A Sogra Perfeita (Foto: Divulgação)

Cacau Protásio como Neide em A Sogra Perfeita (Foto: Divulgação)

PROTAGONISMO NO CINEMA
Além de ter o parceiro dos sonhos aos seu lado, o fotógrafo Janderson Pires, Cacau tem muitos motivos para celebrar profissionalmente. Neide marca sua estreia como protagonista no cinema, uma vitória não só dela como de outras atrizes negras.   

“É maravilhoso alguém pensar em mim e escrever para mim essa personagem que tantas outras mulheres vão se identificar. Por muito tempo pensei que isso (protagonismo) nunca fosse chegar, mas sempre fui grata por tudo o que eu fiz. A pandemia me trouxe ainda mais esse sentimento de gratidão a Deus por fazer mais um trabalho. Aprendemos que não somos donos do nosso próprio nariz. Tivemos que parar de estudar, trabalhar, visitar amigos... Eu não mandava mais em nada na minha vida, vivia em casa. Então, aprendi a viver um dia de cada vez e ser grata por poder voltar a ir ao supermercado, a um cinema, a estar com o próximo”, explica ela, que perdeu o grande amigo e colega de trabalho Paulo Gustavo, em maio deste ano, após complicações causadas pela Covid-19.

“Todos os dias rezo por ele, pela alma dele e por todas as pessoas que perderam a vida para que descansem em paz. A gente continua fazer arte por ele, que passou para o outro lado, mas nunca será esquecido.”

Cacau Protásio e Paulo Gustavo (Foto: Instagram)

Cacau Protásio e Paulo Gustavo (Foto: Instagram)

PAULO GUSTAVO
Foi o amigo, inclusive, que fez olhar para si mesma de outro jeito. Ela relembra que ele a incentivou a usar looks mais ousados como o das artistas americanas. “Despertei para a moda recentemente. Amo roupas, usar perucas, lenços... Me acho bonita agora. Lembro que o Paulo Gustavo, a irmã dele e o Marcus Majella sempre me incentivaram a buscar referências nas mulheres gordas americanas, que são muito vaidosas. Aqui nem tinha moda para a gente”, relembra ela, que se inspirou na Queen Latifah e atualmente tem uma marca de roupas. 

PROJETOS
Além dos muitos outros projetos profissionais que tem para lançar ainda neste ano, Cacau conta aguardar em Deus para realizar um outro sonho, o de ser mãe. “Sempre tive vontade de ser mãe, mas não queria fora de hora. Não queria botar um filho no mundo e deixar largado, sem que eu pudesse dar educação. Agora tenho planos de ter filho, mas não sei se vai ser naturalmente. Vou esperar Deus me dar um filho, seja gerado ou adotado”, diz ela, que lança Amarração no Amor Juntos e Enrolados nos cinemaalém da nova temporada de Vai Que Cola.

Cacau Protásio e Janderson Pires (Foto: /Instagram)

Cacau Protásio e Janderson Pires (Foto: Instagram)

Como foi filmar A Sogra Perfeita?
A gente gravou o filme antes de começar a pandemia. O set era muito animado. A Cris D’Amato, que dirige o filme, é uma mãe. Quando temos uma direção que traz paz, tudo dá certo.

O que mais despertou o seu interesse em interpretar a Neide?
A Neide é uma mulher empoderada e isso foi o que mais me despertou interesse. Mostra que mulheres separadas têm uma cobrança muito grande para se casar novamente ou para seguir cuidando do filho pelo resto da vida. As mulheres têm o direito de fazer o que elas quiserem da vida. Seja só transar sem compromisso, sair para dançar, ficar solteira...

Você canta com o Fabio Junior. Como foi essa experiência?
Agora estou em outro patamar e vão ter que falar com três empresários antes de chegar em mim (risos). Cantar ao lado do Fabio Junior foi um privilégio. Lembro que antes dele chegar no set a sensação era a mesma de uma criança esperando pelo Papai Noel, pela hora do presente. Ele é maravilhoso, um divo. Não tenho palavras para explicar. Ele chegou super tranquilão. Virou meu amigo. Na verdade, troquei celular com a mulher dele. Falo sempre com a Fepa.

A continuação de A Sogra Perfeita vai ter uma homenagem à Dona Hermínia, personagem icônico do Paulo Gustavo. O que você pode falar disso e como você, espiritualizada, pensa ainda nele?
Não sei de nada ainda sobre essa homenagem. A gente continua vivendo e fazendo arte por ele, que era ligado não nos 220 volts, mas nos 1820 volts. Ele era uma pessoa muito especial, amigo de tanta gente ao mesmo tempo, e com uma energia incrível. Continuo trabalhando com a irmã dele, que apesar de tímida é dez vezes mais engraçada que ele, e ligada nos 10 mil volts.

Cacau Protásio como Neide em A Sogra Perfeita (Foto: Divulgação)

Cacau Protásio como Neide em A Sogra Perfeita (Foto: Divulgação)

*Quem