Aguarde. Carregando informações.
MENU

Domingo, 21 de julho de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Esportes

Em silêncio, Flamengo volta aos treinos visando Fla-Flu

Jogadores se reapresentam para primeira atividade em campo após tragédia no CT

Em silêncio, Flamengo volta aos treinos visando Fla-Flu

fla (Imagem: Reprodução)

Os jogadores do Flamengo se reapresentaram na manhã desta segunda-feira, no Ninho do Urubu, para retomar a preparação para o Fla-Flu da semifinal da Taça Guanabara desta quinta, às 20h30 (de Brasília), no Maracanã. Será o primeiro treino em campo do elenco após a tragédia da última sexta, em que 10 atletas da base rubro-negra morreram em um incêndio dentro do CT.

O elenco chegou a se apresentar no Ninho na manhã de sábado, um dia após a tragédia, mas não houve treinamento. Os jogadores se reuniram para oração, ouviram um discurso emocionado do técnico Abel Braga, que perdeu um filho de forma trágica em 2017, e fizeram apenas trabalhos leves na academia. No domingo, o clube deu folga para os atletas.

Assim como no sábado, os jogadores chegaram ao Ninho sem falar com os jornalistas que estão de plantão na porta do CT. A recomendação do clube é de que ninguém se manifeste, e não há previsão de coletivas nem mesmo para falar do Fla-Flu. O treino desta segunda, por exemplo, é integralmente fechado para a imprensa e sem as tradicionais entrevistas com atletas.

Com total privacidade, Abel voltará a projetar a escalação para a primeira partida eliminatória do clube em 2019. Antes da tragédia, o técnico vinha trabalhando o time com Gabigol de titular até o treinamento da última quinta-feira. Se nada mudar, o Flamengo terá Diego Alves, Pará, Rodrigo Caio, Rhodolfo e Renê; Cuellar e Arão; Everton Ribeiro, Diego e Bruno Henrique; Gabigol.

Enquanto isso, torcedores rubro-negros e de outros times continuam levando homenagens para a entrada do Ninho do Urubu, e já há uma espécia de memorial no pé da estátua do ex-presidente do Flamengo George Helal, que dá nome ao CT. Flores, camisas, faixas e bilhetes simbolizam a dor da maior tragédia da história do clube.

*Globo Esporte

Comentários