Aguarde. Carregando informações.
MENU

Terça-Feira, 19 de junho de 2018 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Esportes

Flu quer Maracanã como casa em 2018 e convoca torcida para evitar novos prejuízos

Com menos de 4 mil torcedores presentes contra Nova Iguaçu, Tricolor teve déficit de quase R$ 300 mil. Clube calcula média de 12 a 13 mil para que estádio seja rentável ao longo do ano

Flu quer Maracanã como casa em 2018 e convoca torcida para evitar novos prejuízos

(Imagem: Divulgação)

O retorno do Fluminense ao Maracanã, no último domingo, contra o Nova Iguaçu, foi com pouco público e grande prejuízo. Mesmo com a utilização apenas das arquibancadas do anel inferior para reduzir despesas, o Tricolor teve um déficit de quase R$ 300 mil.

Apesar disso, a diretoria pretende ter o estádio como casa do time em 2018. E para que não volte a acumular prejuízos, o CEO do clube, Marcus Vinicius Freire diz seguir buscando junto ao consórcio diminuir mais os custos e fez uma convocação à torcida:

- O Fluminense ficou feliz da vida em voltar ao Maracanã e quer que o estádio seja sua casa pelo menos até o fim do ano e convoca a torcida para ajudar nessa empreitada. Precisamos ter um público mínimo para cobrir os gastos. Estamos contando com isso - disse.

 Público baixo em Fluminense x Nova Iguaçu, no Maracanã (Foto: André Durão)

Público baixo em Fluminense x Nova Iguaçu, no Maracanã (Foto: André Durão)

Com o modelo de operação utilizado desta vez, o Flu reduziu em cerca de R$ 100 mil os gastos, que ficaram em R$ 407.652,93. Segundo o diretor-executivo, a redução “foi dentro do esperado”. Porém, a receita “ficou abaixo da expectativa. Com um público pagante de 3317 pagantes (3.849 presentes), teve apenas R$ 110.125,00 de ganhos.

- Queremos apostar nesta parceria. Estamos fazendo um trabalho para redução de despesas, para que seja viável jogos mesmo com menos público. Só que esperamos jogos com públicos maiores que os de domingo. Convocamos os guerreiros tricolores para ajudar o clube a voltar ao Maracanã.

Para Freire, o horário de 19h30 em um domingo, a questão de segurança da cidade e a situação econômica do país foram outros fatores que jogaram contra um melhor público.

 

- Neste domingo também tivemos alguns fatores atípicos. Foi um horário ruim, estamos tentando negociar nossos horários. Porque se fosse às 17h com certeza o público seria melhor. Quanto mais tarde se sai de qualquer lugar do Rio de Janeiro hoje em dia é pior. A fase do time é boa. É também falta de grana do brasileiro mesmo. Há uma restrição financeira. Houve um Fla x Bota com menos de 10 mil recentemente... - avaliou o dirigente.

 
Festa da torcida do Fluminense no Maracanã em 2017 (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Festa da torcida do Fluminense no Maracanã em 2017 (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Média de público esperada e utilização das arquibancadas superiores

Nos cálculos do Fluminense, é preciso uma média de público entre 12 e 13 mil pagantes para que a utilização do Maracanã ao longo do ano seja superavitária. O clube planeja usar apenas as arquibancadas do anel inferior em jogos de menos apelo, onde a expectativa de público seja em torno de 15 a 16 mil pessoas. Já em clássicos, jogos contra grandes de outros estados e partidas decisivas, cuja expectativa de público seja superior a 20 mil, serão utilizadas também os setores do anel superior.

*Globo Esporte

Comentários