Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quinta-Feira, 19 de setembro de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Esportes

União entre Daniel Alves e Richarlison vira trunfo da Seleção

Dupla apresenta entrosamento rápido pelo lado direito da equipe e, ligada pelo bom astral, se destaca também fora de campo

União entre Daniel Alves e Richarlison vira trunfo da Seleção

(Imagem: Lucas Figueiredo/CBF)

Do primeiro aperto de mão entre Daniel Alves e Richarlison, na Granja Comary, surgiu uma conexão que tem se refletido em gols e samba. A união do “good crazy”, maluco do bem, como se define o próprio lateral-direito, com o carismático atacante que festeja gols imitando um pombo é um novo elo, fruto da mescla entre veteranos e jovens promovida na seleção brasileira para a Copa América.

É o "Pombocrazy", como definiu Daniel Alves em seu Instagram.

Ambos jamais haviam atuado juntos. Demorou 16 minutos para Daniel Alves, 36 anos, cruzar e Richarlison, 22, cabecear para o gol e abrir a vitória por 2 a 0 sobre o Catar, na quarta-feira passada. Daquele jogo esquisito marcado pela lesão de Neymar, chamou atenção o rápido entendimento da dupla pelo lado direito da Seleção.

Minutos depois, uma jogada combinada entre os eles terminaria em gol de Gabriel Jesus, cenário que se viria a se repetir no último domingo para dar início à goleada de 7 a 0 em cima de Honduras, numa bela trama concluída pelo centroavante.

Tudo pode ter começado no vestiário, quando o maior vitorioso da história do futebol ensinava o jovem artilheiro a tocar tamborim. Com atenção e cuidado para corrigir cada atravessada no samba.

– Temos que encarar as coisas com as responsabilidades que elas exigem, mas sem se esquecer de sorrir. Quando fazemos o que amamos, isso tem de estar refletido no rosto e na alma – disse Daniel Alves depois da vitória da Seleção.

Apesar da diferença de idade, ambos têm sido polos de bom astral de um ambiente que se tornou carregado pela conturbada trajetória de Neymar na preparação, cujo pico de estresse foi a denúncia de estupro feita por uma mulher contra ele.

Richarlison diverte a todos com seu jeito simples. É atração no vestiário. E o capitão Daniel Alves tem se preocupado em criar uma unidade que resista mentalmente à ausência de Neymar para que isso se traduza em boas coisas dentro de campo. Até mesmo da comemoração de Richarlison, o tradicional pombo, ele fez questão de participar.

A estreia da seleção brasileira na Copa América vai acontecer nesta sexta-feira, às 21h30, contra a Bolívia, no Morumbi. Ambas as equipes fazem parte do Grupo A, que tem ainda Venezuela e Peru.

*Globo Esporte

Comentários