Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quinta-Feira, 13 de dezembro de 2018 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Farol Gospel

Seita satânica processa Netflix por plagiar estátua para série “O Mundo Sombrio de Sabrina”

O templo pediu 150 milhões de dólares (560 milhões de reais) de indenização

Seita satânica processa Netflix por plagiar estátua para série “O Mundo Sombrio de Sabrina”

(Imagem: Divulgação)

A imprensa americana informou na última  nesta sexta-feira (9), que o Templo Satânico, instituição que fica em Massachusetts abriu um processo contra a plataforma de Streaming de vídeo Netflix. A acusação é de plagio a uma estátua sua para a série “O Mundo Sombrio de Sabrina”, o templo pediu 150 milhões de dólares (560 milhões de reais) de indenização.

O grupo denunciou a Netflix e a Warner Bros  em um tribunal de Nova York alegando que as empresas copiaram a estátua de Baphomet – deus pagão símbolo da procriação e da fecundidade, representado por um ser metade homem e metade bode – para a nova série da plataforma.

A defesa alega que a Netflix cometeu infração dos direitos autorais do grupo, violou uma marca registrada e prejudicou a imagem da organização.

“Entre outros aspectos, o Templo Satânico projetou e desenvolveu a estátua “Baphomet with two children” (Baphomet com duas crianças) como parte principal da sua campanha para promover os valores da Primeira Emenda, a de separação entre Igreja e Estado”, explica o processo.

O Templo Satânico, fundado em 2012, afirmou ainda que a série distorceu seus princípios fundamentais, que são, entre outros, “compaixão e empatia com todas as criaturas”, “luta pela justiça” e o “melhor entendimento científico do mundo”, e retrata Baphomet como uma representação do mal.

A Netflix  também está no centro de uma polêmica no Brasil por conta da animação brasileira “Super Drags”, que estreou na última sexta-feira (9). A animação conta a história de três jovens que se transformam em drag queens super-heroínas.

Antes da estreia a plataforma já vinha recebendo muitas críticas de pastores, artistas gospel, e também da “Sociedade Brasileira de Pediatria”, que exigiu o cancelamento de Super Drags.

*O fuxico gospel

Comentários