Aguarde. Carregando informações.
Interior

Hospital do Alto Sertão chega ao 1º mês de funcionamento como referência para pacientes com Covid

Hospital do Alto Sertão chega ao 1º mês de funcionamento como referência para pacientes com Covid

(Imagem: Carla Cleto )

Superando as expectativas dos mais de 160 mil sertanejos, por assegurar assistência ágil, qualificada e humanizada, o Hospital Regional do Alto Sertão (HRAS) completa o primeiro mês de funcionamento nesta quarta-feira (21). A unidade hospitalar, localizada em Delmiro Gouveia, já se notabilizou como referência para pacientes acometidos pela Covid-19, atendidos, exclusivamente, por meio de encaminhamento da Central Estadual de Regulação de Leitos.

Nos primeiros 30 dias de funcionamento, o HRAS, que recebeu investimentos do Governo do Estado da ordem de R$ 35 milhões, e conta com 60 leitos, sendo 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 50 Clínicos, já atendeu 28 sertanejos com Covid-19. Desse número, segundo o Núcleo de Estatística Hospitalar, 18 já se recuperaram e receberam alta médica, dois foram transferidos para outras unidades de maior complexidade e oito estão internados, sendo cinco em leitos Clínicos e três na UTI.

Dos pacientes já assistidos, ainda de acordo com o Núcleo de Estatística Hospitalar, 20 residem em Delmiro Gouveia, três em Água Branca, dois em Olho d´Água do Casado, um em Piranhas e um em Pariconha. Sertanejos que, segundo o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, antes da abertura do HRAS, eram encaminhados para receber assistência hospitalar em Arapiraca, no Agreste, ou em Maceió.

“Com a abertura do Hospital Regional do Alto Sertão, cumprimos mais uma etapa do Programa de Regionalização da Saúde, projetado em 2015 pela atual gestão estadual. Com isso, proporcionamos mais qualidade de vida para a população e nenhum sertanejo, acometido pela Covid-19, tem que deixar a sua região para receber assistência especializada no Agreste ou na capital alagoana”, ressaltou Ayres.

Todos recuperados – E no primeiro mês de funcionamento, o HRAS contabiliza uma marca expressiva, uma vez que conseguiu recuperar todos os pacientes assistidos. Já na primeira semana de funcionamento, seis pacientes foram assistidos e todos receberam alta médica e voltaram ao convívio de suas famílias.

O primeiro paciente a receber alta médica foi Abidiel Bandeira Gomes, que saiu da unidade no dia 28 de junho. Antes, de ser levado para casa, no entanto, ele deixou sua assinatura na Árvore da Vida, onde são registrados os nomes dos sertanejos que foram recuperados da Covid-19.

Mudança de perfil assistencial – Após a pandemia da Covid-19, o HRAS irá mudar o seu perfil assistencial, passando a ser um hospital geral. Segundo o projeto original, a unidade irá contar com 153 leitos e vai contar com os serviços de ortopedia, nefrologia, cardiologia, urologia, cirurgia geral e obstetrícia, além de exames por imagem.

Com isso, segundo o diretor do HRAS, Jamil Cordeiro, serão disponibilizados exames de tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma e raios-x. “Teremos, então, capacidade para realizar 7.763 consultas e 7 mil exames de diagnóstico por mês, beneficiando os moradores de Piranhas, Inhapi, Canapi, Água Branca, Olho D’Água do Casado, Mata Grande, Pariconha e Delmiro Gouveia onde o hospital onde está localizado”, informou o diretor, que participou de uma celebração ecumênica para marcar os 30 dias de funcionamento da unidade hospitalar.

*Redação Alagoas Alerta com Assessoria