Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quinta-Feira, 21 de outubro de 2021

Interior

Idosos a partir de 70 anos receberão dose de reforço contra Covid-19, em Penedo

Idosos a partir de 70 anos receberão dose de reforço contra Covid-19, em Penedo

(Imagem: Assessoria)

Idosos com idade igual ou maior do que 70 anos e pessoas com baixa proteção imunológica, identificadas como imunossuprimidas, formam o novo público-alvo da campanha de imunização contra a Covid-19 em Penedo.

A partir da próxima segunda-feira, 27, a Secretaria Municipal de Saúde de Penedo inicia a aplicação da dose reforço para as pessoas idosas a partir de 70 anos ou aos imunossuprimidos, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Ainda de acordo com a recomendação do MS, a dose de reforço para a população idosa será administrada para quem recebeu a segunda dose há 180 dias, independente do imunizante aplicado.

Para as pessoas com alto grau de imunossupressão ou baixa proteção imunológica, a dose de reforço poderá ser administrada 28 dias após a última dose do chamado esquema básico de vacinação.

São consideradas pessoas com alto grau de imunossupressão quem estiver nas seguintes situações

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4
  • Uso de corticóides em doses igual ou superior a 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por período igual ou maior do que 14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias)

Ainda para estes casos, o Ministério da Saúde orienta a apresentação dos seguintes documentos cujas cópias serão anexadas ao cadastro individual da pessoa

  • Prescrição médica para o paciente receber a vacina, informando a condição que justifica a imunização
  • Exames específicos que estabelecem o diagnóstico
  • Relatório médico
  • Receitas para terapêutica específica de condições descritas
  • Cadastros em sistemas específicos do Sistema Único de Saúde
  • Guia de encaminhamento específico, no caso das pessoas vivendo com AHIV (PVHIV) com CD4.

*Redação Alagoas Alerta com Assessoria