Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quarta-Feira, 18 de setembro de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Internacional

EUA apontam que podem abolir cigarro eletrônico com sabor

Ao menos seis pessoas morreram de uma doença ligada ao uso de cigarros eletrônicos; Trump diz que será preciso fazer algo a respeito.

EUA apontam que podem abolir cigarro eletrônico com sabor

(Imagem: Reprodução)

O governo dos Estados Unidos poderá restringir a venda de cigarros eletrônicos com sabor, de acordo com indicações do presidente Donald Trump nesta quarta (11).

Trump teve uma reunião com o secretário de Saúde e Serviços Humanos do governo, Alex Azar II, e com Ned Sharpless, o comissário da agência que regulamenta comidas e drogas nos EUA (FDA, na sigla em inglês.

A FDA vai fazer um plano, nas próximas semanas, para retirar do mercado todos os cigarros eletrônicos que não são de tabaco, de acordo com o secretário.

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, compareceu ao encontro. O presidente lembrou que eles têm um filho, Barron Trump, e que se preocupam com o garoto –o consumo de aumentou entre adolescentes.

O estado de Michigan, no dia 4 de setembro, proibiu os cigarros eletrônicos com sabor.

Trata-se de uma medida para proteger os jovens de efeitos nocivos do produto, de acordo com a governadora Gretchen Whitmer, do Partido Democrata.

O uso desses cigarros por jovens é emergência de saúde pública, de acordo com ela.

Michael Bloomberg, que foi prefeito de Nova York, anunciou que vai doar US$ 160 milhões (cerca de R$ 645,8 milhões) para combater o “vaping” por meio de uma de suas fundações.

Doença misteriosa

Na terça (10) foi anunciada a morte de um morador do estado do Kansas, a sexta pessoa a falecer nos EUA vítima de doença respiratória misteriosa relacionada ao uso de cigarros eletrônicos.

Autoridades de saúde pública dos EUA investigam 450 casos de doenças pulmonares relacionadas ao fumo de cigarros eletrônicos em 33 estados e um território norte-americano.

Várias das doenças registradas podem ter relação com produtos contendo acetato de vitamina E, um óleo que pode ser perigoso se inalado. Entre esses componentes, estão derivados da cannabis.

*Redação Alagoas Alerta com G1 

Comentários