Aguarde. Carregando informações.
Mundo

Tribunal suspende julgamento após macaco roubar evidências de crime

Tribunal suspende julgamento após macaco roubar evidências de crime

(Imagem: Reprodução )

Um julgamento de assassinato teve que ser adiado na última quarta (4/5), na Índia, por um motivo bastante bizarro: um macaco roubou importantes evidências do crime antes que pudessem ser usadas no tribunal.

De acordo com o tabloide britânico Daily Mail, o macaco conseguiu roubar um pacote contendo 15 provas do assassinato, incluindo a faca, suposta arma usada no crime.

Durante a audiência, a polícia da cidade indiana de Jaipur teve que admitir ao tribunal que, desde o assassinato ocorrido em 2016, as evidências estão desaparecidas por terem sido furtadas pelo animal quando iam ser levadas do local do crime.

A confissão veio depois que o tribunal ordenou que as autoridades produzissem as provas que seriam usadas no caso, informa o tabloide. Se não bastasse o sumiço do material, a polícia de Jaipur informou que o agente responsável por proteger as evidências havia sido suspenso na ocasião, por não ter feito o trabalho, e, mais tarde, após se aposentar, acabou falecendo.

Segundo o Daily Mail, o caso que está sendo julgado envolve o assassinato de Shashikant Sharma, cujo corpo foi descoberto perto da delegacia de polícia de Chandwaji, em Jaipur, no estado indiano de Rajastão. A família havia relatado seu desaparecimento três dias antes de seu corpo ser encontrado.

Sob pressão da comunidade, a polícia prendeu dois homens suspeitos, cinco dias depois (Rahul e Mohanlal Kandera), ambos da vila de Chandwaji. As principais evidências do caso, incluindo uma faca que se acredita ter sido usada pelos suspeitos para assassinar Sharma, foram coletadas e colocadas em um pacote de evidências, explica o tabloide britânico.

No entanto, como as provas estavam sendo mantidas temporariamente debaixo de uma árvore pelo policial responsável por elas, um macaco acabou furtando as 15 evidências e fugindo. Até hoje o material não foi recuperado.

O Daily Mail diz que o promotor público teria reagido com raiva à incompetência da polícia, sugerindo que a explicação para o sumiço das provas é uma desculpa muito estranha. O tribunal também expressou frustração.

*Trendsbr