Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quarta-Feira, 18 de setembro de 2019 | TEMPO: PARCIALMENTE NUBLADO

Polícia

Bombeiros resgatam estudante que ficou presa em um cemitério da capital

Bombeiros resgatam estudante que ficou presa em um cemitério da capital

(Imagem: Reprodução)

Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar foi acionada no final da tarde de sábado (7) para resgatar uma jovem, identificada como Rebecka Carmo, 24 anos, que estaria presa no cemitério Nossa Senhora da Piedade, no bairro do Prado.

Rebecka, que é estudante de jornalismo, estava entregando panfletos nas proximidades da Feira da Reforma Agrária, localizada na Praça da Faculdade, quando ela e mais dois amigos resolveram adentrar no cemitério.

“Um dos meus amigos é de Pernambuco, e fui contar a ele a estória da Mulher da Capa Preta, e entramos pra ver o túmulo. Vimos o coveiro perto de onde a gente tava. Demos uma volta no cemitério, e na hora de sair, já estava trancado”, explica Rebecka, que afirma que eles tentaram sair por volta das 16h55.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, que é o órgão responsável pela administração dos cemitérios, confirmou o caso e informou que o horário de funcionamento é até as 17 horas.

“Eu e meus amigos tentamos pular, mas o muro é muito alto. Daí ligamos pra quem estava na feira. Também ligamos para a polícia, e nos passaram um número que seria da administração do cemitério, mas só dava mensagem de que não existia. Foi quando resolvi chamar os Bombeiros", conta a jovem.

 

Logo no início da noite, o Corpo de Bombeiros chegou até o local, porém, apenas Rebecka aguardava do lado de dentro do cemitério.

“Como meus amigos são bem magrinhos, eles acabaram saindo pelas brechas. Eu fiquei, à espera dos Bombeiros. Pularam o muro, mas estava muito difícil e eu estava de saia. Eles precisaram quebrar o cadeado pra que eu pudesse sair" esclareceu Rebecka.

Rebecka foi resgatada pelos bombeiros cerca de duas horas após o chamado, próximo às 18h45. A administração do cemitério informou que cadeado quebrado já foi substituído.

*Redação Alagoas Alerta com 1

 

Comentários