Aguarde. Carregando informações.
MENU

Terça-Feira, 09 de agosto de 2022

Polícia

PC pede prisão de homem que agrediu mulher em posto de combustíveis em Maceió

PC pede prisão de homem que agrediu mulher em posto de combustíveis em Maceió

(Imagem: Reprodução)

A delegada Ana Luiza Nogueira, da Polícia Civil de Alagoas (PC-AL), informou nesta terça-feira (2) que pediu a prisão preventiva do homem que agrediu uma mulher com um tapa no rosto em um posto de combustíveis de Maceió no último fim de semana. A agressão foi filmada e o vídeo foi compartilhado nas redes sociais.

"A Polícia Civil já tomou todas as providências acerca desse caso. Nós já ouvimos a vítima e também as testemunhas. Temos a prova cabal de que é o vídeo que circulou nas redes sociais. Diante disso, pedi a prisão preventiva do agressor", disse a delegada.

De acordo com as investigações, o homem é um policial militar que não estava de serviço no momento da confusão. Ele já responde pelo crime de ameaça, praticado em 2012, e agora deve responder também por lesão corporal, violência de gênero e ameaça porque, segundo testemunhas, chegou a puxar uma arma. Se condenado, a pena pode chegar a 5 anos de prisão.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar, mas não havia obtido resposta até a última atualização desta reportagem.

Vítima foi agredida após tentar defender uma amiga

No depoimento, a mulher que levou o tapa no rosto disse que não tem nenhuma ligação com agressor. Ela contou que voltava de uma festa quando parou em um posto de combustíveis para tomar café da manhã com uma amiga. Nesse momento, a amiga começou uma briga com o ex-namorado e a vítima saiu em sua defesa.

Porém, o casal foi embora, deixando no local a amiga e o agressor, que é amigo do ex-namorado citado no depoimento. Nesse momento, ele começou a discutir com a vítima porque ela tinha defendido a amiga.

Ainda no depoimento, a vítima disse que o militar cuspiu no rosto dela, a atacou verbalmente por ser mulher e, por fim, deu o tapa no rosto dela. A mulher ficou caída no chão após a agressão.

Ela não registrou Boletim de Ocorrência, mas diante do vídeo com o flagrante do crime, a vítima foi identificada e chamada para prestar depoimento na delegacia.

*Redação com G1/AL