Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quarta-Feira, 29 de maio de 2024

Polícia

Polícia Militar prende em Goiás acusado de matar a companheira em Inhapi

Polícia Militar prende em Goiás acusado de matar a companheira em Inhapi

(Imagem: PM/GO)

Por meio de informações coletadas pelo Disque-denúncia, foi preso, na última sexta-feira (12), o suspeito do feminicídio de Maria Luciena da Silva. O crime ocorreu em fevereiro deste ano na Feirinha do Croatá, em Inhapi, município localizado no Sertão alagoano, e seu companheiro, principal suspeito, estava foragido desde então.

Com as informações passadas pelo Disque-denúncia sobre o seu possível paradeiro, a Agência de Inteligência do 16º Batalhão de Polícia Militar de Formosa, Goiás, averiguou e confirmou a veracidade das informações, localizando e monitorando o suspeito, enquanto aguardavam a emissão do mandado de prisão pela justiça de Alagoas.

Com o mandado em mãos, eles efetuaram a prisão. O suspeito foi encontrado com os dois filhos menores e uma adolescente. Os filhos ficaram aos cuidados da tia por parte de pai e a adolescente foi encaminhada a um abrigo pelo Conselho Tutelar de Formosa. O homem agora encontra-se à disposição da Justiça.

Para o secretário de Segurança Pública, Flávio Saraiva, o disque-denúncia é uma ferramenta vital na luta contra o feminicídio, atuando como um canal direto para a sociedade colaborar com as autoridades na identificação e prisão de agressores.

“Esse foi um ótimo exemplo de como a sociedade, por meio do Disque-denúncia, pode auxiliar a as polícias na elucidação de crimes e encontrar criminosos. A conscientização sobre a importância desse recurso é essencial para que mais vidas sejam salvas e mais justiça seja alcançada”, disse.

O caso 

Maria Luciena foi morta em fevereiro deste ano. Segundo testemunhas, ela e o companheiro teriam discutido durante uma bebedeira e o homem atirou na cabeça e no antebraço da vítima.

Disque-denúncia

A chefe do Disque-denúncia, Eliane Araújo, reforça que através desse serviço, informações podem ser fornecidas anonimamente.

“Temos três canais disponíveis: o número 181, o site disquedenuncia.seguranca.al.gov.br, e o aplicativo Disque-denúncia AL. Vale lembrar que a ligação é gratuita e que o sigilo é garantido, a pessoa não precisa se identificar”, explica.

*Agência Alagoas