Aguarde. Carregando informações.
Política

Cabe a Milei ligar para Lula e pedir desculpas, diz ministro Pimenta

Cabe a Milei ligar para Lula e pedir desculpas, diz ministro Pimenta

(Imagem: Sérgio Lima/Poder 360)

O ministro da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), Paulo Pimenta, afirmou nesta 2ª feira (20.nov.2023) que cabe ao presidente eleito na Argentina, Javier Milei, contatar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Isso porque o político teria ofendido o petista “gratuitamente”. Agora, segundo Pimenta, seria preciso um pedido de desculpas para começar uma conversa.

“Eu não ligaria, só depois que ele ligasse para me pedir desculpas. Ofendeu de forma gratuita o presidente Lula. Cabe a ele o gesto, como presidente eleito, de ligar para se desculpar. Depois que acontecesse isso, eu pensaria na possibilidade de conversar”, declarou.

Javier Milei deve iniciar nesta 2ª feira a transição de governo. O direitista venceu o candidato do peronismo, Sergio Massa, no domingo (19.nov.2023), na disputa do 2º turno. Com 99,28% das urnas apurados, Milei obteve 55,69% dos votos, contra 44,30% de Massa, segundo os resultados oficiais.

A posse é realizada em 10 de dezembro desde a redemocratização da Argentina, em 1983. O ex-presidente Raúl Alfonsín, o 1º eleito pelo povo depois do golpe de Estado de 1976, inaugurou a tradição.

Sergio Massa reconheceu a derrota nas eleições presidenciais e ligou para dar os parabéns a Javier Milei. O discurso de Massa foi feito antes da divulgação dos resultados oficiais do 2º turno.

QUEM É JAVIER MILEI

Há cerca de 2 anos, Javier Milei, 53 anos, não era uma personalidade política conhecida na Argentina. Nascido em 22 de outubro de 1970 em Buenos Aires, o economista formado pela Universidade de Belgrano atuou como professor em instituições de ensino superior.

Ele é filho de uma dona de casa e de um motorista de ônibus que se tornou empresário de transportes. Costuma dizer que, na infância, foi goleiro do Chacarita Juniors, um clube de futebol argentino. Depois de se formar em economia, Milei fez duas pós-graduações na área, cursadas no Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social e na Universidade Torcuato di Tella. 

O argentino trabalhou em consultorias como a de Miguel Broda, um dos mais conhecidos economistas da Argentina. Também atuou como economista sênior do HSBC na Argentina e como assessor econômico do militar e ex-deputado Antonio Domingo Bussi, acusado de crimes “contra a humanidade” cometidos quando foi governador de Tucumán. 

O economista também integra o B20 (Business 20), grupo de diálogo relacionado ao G20 para o setor empresarial, e o Fórum Econômico Mundial.

Milei se diz discípulo da Escola Austríaca, linha do liberalismo econômico difundida a partir do século 19. É autor de 8 livros. Escreveu “Desvendando a mentira keynesiana: Keynes, Friedman e o triunfo da Escola Austríaca”, com prefácio do ex-ministro de Economia Ricardo López Murphy. 

O argentino foi acusado de plágio em seus livros “Pandenomics” e “El camino del libertario”, no prólogo do livro “4000 años de controles de precios y salarios” e em artigos publicados nos jornais El Cronista e Infobae

Em 2021, Milei ganhou destaque na cena política argentina depois que ele e seus aliados do La Libertad Avanza conquistaram 5 cadeiras da Câmara nas eleições legislativas. Na cidade de Buenos Aires, a coalizão recebeu 310 mil votos (ou 17% do total), terminando a eleição em 3º lugar. Na época, o argentino já declarava ter pretensão de se eleger presidente. 

*Poder360