Aguarde. Carregando informações.
Política

Caixa diz que lista de CEPs 'negativos' deve ser ‘desconsiderada’ após cobrança de Rodrigo Cunha

Caixa diz que lista de CEPs 'negativos' deve ser ‘desconsiderada’ após cobrança de Rodrigo Cunha

(Imagem: Reprodução )

A Assessoria de Relacionamento Institucional da Caixa Econômica Federal (CEF) em Brasília informou nesta quinta-feira (8) que deve ser “desconsiderada” a listagem de quase 1.400 CEPs (Códigos de Endereçamento Postal) “negativados” pelo banco em Maceió, possivelmente devido ao afundamento dos bairros do Pinheiro, do Bebedouro, do Mutange e do Bom Parto. A resposta foi dada formalmente ao senador Rodrigo Cunha (PSDB), que cobrou por meio de ofício no final de março explicações formais da CEF sobre o tema.

Em sua comunicação, a Caixa também responde que a área coberta pela seguradora do banco em Maceió foi “ampliada” e que os financiamentos imobiliários feitos na capital de Alagoas continuarão a seguir as normas em vigor. “Em atenção, comunicamos que após tratativas e nova análise, houve a ampliação por parte da seguradora Caixa Residencial da área aceita para cobertura securitária obrigatória nos financiamentos habitacionais nos bairros de Maceió, o que possibilita desconsiderar a relação de CEP anteriormente divulgada aos responsáveis técnicos que realizam as análises das propostas”, afirmou a resposta do banco ao questionamento do parlamentar.

Prosseguindo, a CEF diz no comunicado que “desta forma, os financiamentos seguirão as atuais regulamentações internas e externas vigentes, em especial, quanto à obrigatoriedade de aceitação das coberturas securitárias para os financiamentos habitacionais (Morte e Invalidez Permanente - MIP e Danos Físicos do Imóvel -DFI)”.

“Este caso ainda carece de mais explicações. Vamos continuar cobrando da Caixa respostas que não prejudiquem o povo de Maceió. Esta listagem de CEPs impossibilitados de realizarem seguros e financiamentos bancários pode prejudicar ainda mais nossa população, além de causar enorme medo e apreensão, possibilitando, ainda, uma grande desvalorização imobiliária na capital”, afirmou Rodrigo Cunha.

Entenda o Caso

No final de março de 2021, “vazou” nas redes sociais e imprensa alagoana uma extensa listagem com 1.375 CEPs de ruas e avenidas de Maceió, em 15 bairros, que estariam com seguro residencial e crédito imobiliário suspenso pela CEF. O motivo da suspensão da possibilidade de seguro e do correspondente financiamento bancário seria a proximidade destas novas áreas com o Pinheiro, o Bebedouro, o Mutange e o Bom Parto, localidades que vivem a tragédia do afundamento do solo e a desocupação forçada de milhares de residências por seus moradores.

Após o vazamento, o senador Rodrigo Cunha realizou reunião em Brasília com a alta gestão do banco e cobrou, por meio de ofício dirigido ao Vice-Presidente de Habitação da CEF Jair Luis Mahl, informações sobre a questão, “relatando que a Caixa havia comunicado aos responsáveis técnicos de contratos de financiamento lista de CEPs de vários bairros de Maceió, indicando que as companhias seguradoras não estavam emitindo apólice para novos financiamentos nos bairros Pinheiro e áreas adjacentes”.

Veja resposta da Caixa a Rodrigo Cunha

A Sua Excelência o Senhor
Rodrigo Cunha
Senador

Senhor Senador,

1.Reportamo-nos à consulta apresentada por Vossa Excelência, por meio do ofício nº 113/2021 – GABSEN/GSRCUNHA, no qual solicita informações sobre o encaminhamento da reunião realizada no dia 29 de março de 2021.

2.Em atenção, comunicamos que após tratativas e nova análise, houve a ampliação por parte da seguradora Caixa Residencial da área aceita para cobertura securitária obrigatória nos financiamentos habitacionais nos bairros de Maceió, o que possibilita desconsiderar a relação de CEP anteriormente divulgada aos responsáveis técnicos que realizam as análises das propostas.

2.1.Desta forma, os financiamentos seguirão as atuais regulamentações internas e externas vigentes, em especial, quanto à obrigatoriedade de aceitação das coberturas securitárias para os financiamentos habitacionais (Morte e Invalidez Permanente - MIP e Danos Físicos do Imóvel -DFI).

3.Ao tempo em que nos colocamos à disposição de Vossa Excelência para informações adicionais, renovamos os votos de estima e apreço.

Respeitosamente,

Erick Marques Viana
Assessor de Relacionamento Institucional
GN Relacionamento Institucional

Camila Hermana
Gerente Executiva
GN Relacionamento Institucional

*Redação Alagoas Alerta com Assessoria