Aguarde. Carregando informações.
MENU

Quinta-Feira, 09 de abril de 2020

Esportes

ASA suspende contratos dos profissionais, e dirigente resume: 'Não tem o que fazer'

ASA suspende contratos dos profissionais, e dirigente resume: 'Não tem o que fazer'

(Imagem: Jailson Colácio/Ascom Murici FC)

O ASA anunciou na tarde desta terça uma medida radical. Pelo site oficial, informou que a diretoria vai suspender todos os contratos de jogadores, comissão técnica e outros profissionais que trabalham no clube até o dia 31 de março.

Vice-presidente financeiro do Alvinegro, Cledison Santos conversou nesta terça com o GloboEsporte.com e justificou a decisão tomada pelos dirigentes do ASA.

- Na verdade, essa suspensão não é usual, a prerrogativa é em situação de calamidade. E isso é uma prerrogativa porque o interesse na concretização do trabalho ainda existe de ambas as partes, tanto do ASA como dos atletas. Porém, a situação de calamidade abre essa concessão para a manutenção tanto para o clube como para o atleta. Mesmo nesse período, o clube tem que arcar com algumas despesas, a exemplo do deslocamento do jogador para casa e o retorno dele para o trabalho - comentou o dirigente.

Cledison Santos, vice financeiro do ASA — Foto: Cledison Santos/Arquivo pessoal

Cledison Santos, vice financeiro do ASA — Foto: Cledison Santos/Arquivo pessoal

Na prática, os salários dos jogadores vão diminuir enquanto houver a suspensão dos contratos. O salário do jogador, por exemplo, é R$ 10 mil por 30 dias de trabalho (um mês). Se ele só trabalhar 20 dias, só vai receber os 20 dias (proporcional). Além disso, o ASA se comprometeu em custear algumas despesas decorrentes dessa suspensão de contrato, a exemplo de transporte para casa e retorno.

Cledison lembrou que o clube espera uma definição da Federação Alagoana sobre o estadual.

Governo coronavírus

- A gente, como todos os clubes, está aguardando o resultado dessa pandemia. A Federação Alagoana de Futebol não posicionou ainda sobre a volta do campeonato, qual é o panorama, e nós também estamos no mesmo barco: aguardando. Só é o que nos resta dentro do atual cenário.

Cledison disse ainda como os profissionais do clube receberam a notícia da suspensão dos contratos.

- O panorama é atípico. O atleta percebe que o clube não tem muito o que fazer. A gente acabou parando e tava cotado para voltar agora no dia 24, paralisação de 10 dias. Mas o decreto do governador acabou inviabilizando. Então, os atletas também estão preocupados com suas famílias e entendem que não tem o que fazer. A gente fica de mãos atadas. Eles entenderam que não é uma opção do clube, e nem deles, mas dessa pandemia mundial.

O futebol de Alagoas foi suspenso em razão da pandemia de coronavírus. Em 2020, o Alvinegro disputa apenas esta competição.

*GE